Blog

Resumo Expedição a Aiuruoca e São Thomé das Letras MG

6.fevereiro 2018

 

Em 05 de agosto de 2016 carregamos o carro com nossas barracas, mochilas e muita energia violeta e partimos para Paraúna-GO, mas nossa primeira para era o sítio Pedra do Gavião, situado na região da cidade de Aiuruoca em Minas Gerais, pertencente à família do Renato Bayer, contatado rama e amigo de longa data do Emmanuel Sanchez, membro dos grupos de Guarapuava. Nosso “grupo de expedição” como chamamos era formado por 4 pessoas: Plínio Nogara (26 anos), Romeu Rocha (30), Renê Castilho (30) e Thiago Cwick (25). O objetivo desta primeira parada era que conduzíssemos uma “saída de campo” dentro das práticas rama no sítio para a família do Renato e outras pessoas que viriam de cidades próximas, como Ourinhos-SP e Ribeirão das Neves-MG.

 

 

Após dormirmos em Aiuruoca chegamos no sítio na manhã do dia 06, com práticas previstas para a noite. Conhecemos então o Renato, sua esposa Ane, seu filho Matheus e sua filha Lakshmi. Fomos apresentados também às outras pessoas que já estavam no local. Durante a tarde fizemos uma trilha pela mata que envolve o sítio. Assim pudemos conhecer todo o lugar e definir os pontos de “autocontrole”. Antes das práticas, logo ao anoitecer, tivemos confirmações da presença dos Guias através de avistamentos de naves no céu e canepas ao redor das barracas. As práticas foram ótimas, muito intensas, com presença e muita energia dos Guias, assim como de todos os envolvidos, incluindo recepção de cristais por um dos membros da expedição. Não poderíamos ter um começo melhor.

No dia seguinte nos preparamos para ir embora. Foram poucos dias mas de inestimável ganho para nós quatro. Além das experiências e preparação para o que viria a seguir, adicionamos incríveis pessoas ao nosso círculo de amizades. Renato e sua família são pessoas maravilhosas, totalmente receptivas aos seus visitantes e de grande coração e espírito. E com os corações recalibrados e chakras realinhados partimos em direção à nossa próxima parada, São Thomé das Letras-MG.

Chegamos em São Thomé a noite, após apreciarmos um belo pôr do sol na estrada. Entre tantas pousadas e hotéis com nomes místicos, esotéricos e astronômicos por assim dizer que compõem esta saudosa cidadezinha mineira localizada à 1400m de altitude, cercada por um lindo vale cheio de cachoeiras, grutas, trilhas e muito misticismo, escolhemos a pousada Reino dos Magos. Nesta noite apenas jantamos e logo dormimos.

Logo pela manhã decidimos visitar o principal ponto turístico dentro da cidade chamado de Pirâmide. Uma pequena casa aberta à visitação com teto em forma piramidal situada na parte mais alta da cidade, o que possibilita uma bela vista em 360º para todo o vale. Já no centrinho da cidade uma pequena loja de artesanatos chamada Harmonia nos chamou a atenção e resolvemos entrar. Fomos atendidos pela Sara, uma senhora muito especial que, ao nos atender, nos disse para perguntarmos sobre qualquer coisa, não necessariamente sobre artigos da loja. Então perguntamos sobre lugares energéticos da região e após contarmos sobre o Rama e os nossos objetivos ela nos falou sobre dois lugares, sendo um deles chamado Pico do Gavião (situado em Sobradinho, um vilarejo próximo). Isso nos surpreendeu muito, pois o sítio que estávamos leva o nome de Pedra do Gavião devido à proximidade com um morro de mesmo nome, além do fato que desde a saída de Guarapuava fomos acompanhados por gaviões em toda parte. Devido às sincronias sentimos muito forte que esse era o local que deveríamos ir. No final a Sara nos comentou sobre o lugar onde vive, uma espécie de comunidade alternativa, com muitas práticas de meditações e terapias holísticas.

Na saída de São Thomé rumo a Sobradinho encontramos uma amiga da Sara, que anteriormente estava na loja, pedindo carona. Por “coincidência” ela ficaria na metade do caminho. Chegamos em Sobradinho e logo conhecemos o Júlio, um guia local, que logo se prontificou em nos levar até o Pico do Gavião. Ele nos contou que naquele lugar passa uma corrente de magnetismo muito forte, além de podermos ver o Pico do Papagaio em Aiuruoca. Depois de uma longa trilha e já no local, meditamos e procuramos nos conectar com os Guias Confederados para receber instruções sobre como proceder ali. Já com as instruções em mãos e observando um pôr do sol inacreditável, absorvemos a energia do sol e irradiamos energias positivas para todo o país através das correntes magnéticas ali presentes e também conectamos energeticamente o Pico do Papagaio com Paraúna. Terminamos de apreciar o pôr do sol e retornamos para o carro. Não posso deixar de mencionar o quanto Júlio foi fundamental no processo além de ser (mais uma) pessoa incrível que conhecemos. Foi sempre atencioso com todos além de ser um cara divertido. Se voltarmos lá com certeza o procuraremos novamente.

*O relato completo desta viagem com a expedição para Paraúna está disponível na seção Publicações deste site.

Leia também

UM IMPACTO AMBIENTAL IMPORTANTE E BEM POUCO COMENTADO
25.março 2018

Esta questão tenho abordado em minhas aulas desde o ano de 2006. O documentário é recente e ilustra bem esta […]


EXPEDIÇÃO RAHMA A PARAÚNA – GO
6.fevereiro 2018

Por que realizar uma expedição?   “Uma viagem como essas só se faz com entrega e confiança nessa voz interior […]


Vida Saudável
23.março 2017

Ter uma vida saudável não é apenas estar com a saúde em dia, mas viver com qualidade em todos os […]


Faça a sua horta
23.março 2017

1. Localização da horta Para produzir bem, as hortaliças precisam de fatores adequados. Por isso, nem todos os terrenos permitem […]